DeFi vs. CeFi: Entenda as Diferenças » Melhores Corretores Forex

DeFi vs. CeFi: Entenda as Diferenças

DeFi vs. CeFi: Entenda as Diferenças

As plataformas de finanças centralizadas (CeFi) se assemelham a serviços financeiros estruturados, permitindo que os usuários tomem emprestado, emprestem e ganhem juros sobre as participações em criptomoedas.

Não é fácil definir como cada criptomoeda deriva seu valor. Alguns dizem que o Bitcoin vale seu custo para o meu, mas, em geral, uma criptomoeda vale o que quer que se possa vender por ela.

Os mercados decidem quanto vale um token por meio da negociação, onde os vendedores aumentam o preço para obter melhores negócios e os compradores fazem lances menores para obter lucro.

A rede Ethereum tem um volume comercial diário de mais de 25 bilhões de dólares, e com tanto dinheiro em jogo, as ofertas e pedidos correspondentes podem se tornar incrivelmente desafiadoras.

A maioria das exchanges de criptomoedas resolve isso usando uma plataforma centralizada para gerenciar os pedidos comerciais, e embora isso funcione tecnicamente em face do principal ethos da blockchain’s — a descentralização — ela tem suas vantagens.

O que é Finanças Centralizadas (CeFi)?

O que é Finanças Centralizadas (CeFi)

As plataformas de Finanças Centralizadas (CeFi) se assemelham a serviços financeiros estruturados, permitindo que os usuários tomem emprestado, emprestem e ganhem juros sobre as em criptomoedas participações.

Embora os serviços sejam centralizados, o objetivo da CeFi é tornar a negociação mais justa, eficiente e popular.

Além disso, apesar da maioria dos serviços da CeFi depender de terceiros confiáveis, eles priorizam a descentralização mais do que os serviços financeiros tradicionais.

A CeFi pode representar estabilidade e conveniência, mas as altas taxas de transação devido aos intermediários e a falta de transparência ou controle absoluto sobre os fundos significam que eles não agradam a todos.

A comunidade criptomoeda valoriza a capacidade de fazer transações que ninguém pode censurar.

Em um mundo onde as exchanges centralizadas podem congelar fundos ou bloquear retiradas, as pessoas podem migrar para plataformas alternativas.

O que é Finanças Descentralizadas (DeFi)?

O que é Finanças Descentralizadas (DeFi)

Finanças descentralizadas (DeFi) são uma das fatias mais cobiçadas da indústria de blockchain hoje, mas a ideia em si, tem origens muito mais primárias.

Na verdade, foi apenas nos últimos dois anos que as plataformas DeFi se tornaram práticas. Onde as bolsas centralizadas usam um servidor central para combinar ofertas e pedidos, as bolsas descentralizadas descobriram que é incrivelmente ineficiente usar o mesmo modelo de livro de pedidos em uma rede distribuída.

No ano passado, a introdução dos Formadores de Mercado Automatizados (Automated Market Makers – AMMs) trouxe as bolsas descentralizadas para o centro das atenções.

Com AMMs, as bolsas descentralizadas abandonam o modelo tradicional de carteira de pedidos e o substituem por pools de liquidez pré-financiados que consistem em pelo menos um par de tokens.

Os provedores de liquidez financiam o pool com uma redução nas taxas de negociação com base na fração do pool de liquidez por eles financiado.

Privacidade e KYC

Outro fator importante que leva os usuários às plataformas DeFi é a privacidade. As exchanges centralizadas e outros serviços CeFi geralmente exigem divulgação KYC completa, mas embora a maioria das plataformas DeFi não solicite informações pessoais, elas também não têm rampas de entrada ou saída para moedas fiduciárias.

Em vez de confiar em uma corporação, o DeFi exige que os usuários confiem em um protocolo.

Embora isso evite que outra pessoa assuma o controle de seus fundos, lidar com código não auditado no espaço do blockchain é sempre arriscado.

Apenas nos últimos anos, o total de ETH bloqueado em plataformas DeFi cresceu de quase nada para mais de US $50 bilhões hoje.

Atualmente, as plataformas CeFi são mais respeitadas por sua confiabilidade e eficiência, mas como DeFi continua a virar cabeças com seus designs inovadores e descentralizados para aplicativos financeiros, essas plataformas podem ameaçar o domínio de algumas das organizações mais proeminentes em blockchain.

# 1 Principal Diferença: Confiança e Responsabilidade

As plataformas DeFi oferecem autonomia completa sobre os fundos, o que significa que seus ativos pertencem apenas a você e ninguém mais pode tocá-los sem o seu consentimento.

Em comparação com uma instituição financeira internacional regular, o DeFi também permite pagamentos mais rápidos e acessíveis através das fronteiras internacionais devido a custos indiretos mais baixos.

Existem mais de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo que não têm acesso a serviços bancários ou financeiros.

A tecnologia Blockchain ajuda a levar todos os tipos de serviços relacionados a dinheiro para os cantos mais remotos do mundo e, com o DeFi, praticamente qualquer pessoa com um smartphone pode começar a comprar, manter e usar criptomoedas.

Os aplicativos DeFi também são projetados para funcionar em conjunto, permitindo algumas impressionantes e incrivelmente lucrativas ‘‘yield farming’’, estratégias de abrangendo várias plataformas.

Os provedores de serviços também são mantidos imparciais, pois os dados das plataformas DeFi estão disponíveis publicamente.

No entanto, apesar da imensa popularidade dessas plataformas, os formuladores de políticas ainda não têm certeza de como regulamentar o espaço, o que é quase certamente uma das barreiras mais significativas para a adoção institucional.

A CeFi tem um controle incrível sobre o espaço do blockchain, com a maioria das transações de criptomoeda ocorrendo por meio dos serviços da CeFi.

Essas plataformas exigem uma senha para o login, mas os usuários não recebem uma chave privada para acessar diretamente seus fundos. Em vez disso, a plataforma CeFi gerencia os fundos para você.

Os tokens disponíveis para negociação também são controlados centralmente e há processos longos e caros para projetos para que seus tokens sejam listados nas plataformas CeFi mais populares.

Embora os principais serviços centralizados sejam geralmente segurados, com um único ponto de falha, os ataques a essas plataformas podem ser devastadores para seus usuários.

Em 2014, a exchange de Bitcoin Mt. Gox foi hackeada e os invasores roubaram mais de 850.000 BTC em fundos de usuários.

A bolsa administrava cerca de 70% das transações mundiais de Bitcoin na época e, mesmo hoje, a maioria dos usuários ainda não recebeu qualquer compensação por suas perdas.

A CeFi está menos focada em seus usuários que possuem criptomoedas e mais focada em deixá-los interagir com os mercados de criptoativos.

Eles também impõem regras dependentes de plataforma que estão sujeitas a alterações a qualquer momento. DeFi, no entanto, opera inteiramente em cima de uma infraestrutura descentralizada.

As plataformas DeFi usam contratos inteligentes para criar um sistema financeiro justo e transparente que é mais acessível às pessoas em todo o mundo.

Como um ecossistema de código aberto, DeFi oferece todos os tipos de serviços, com novos adicionados continuamente.

Também lhe dá controle total sobre seus ativos, sem intermediários atrapalhando você e seus fundos.

Embora os serviços descentralizados sejam frequentemente comercializados como ‘não confiáveis’, eles exigem uma certa quantidade de confiança em algo, e a diferença real entre as plataformas DeFi e CeFi é em quem seus usuários escolhem confiar.

Onde as plataformas centralizadas pedem aos usuários que confiem na empresa que executa o serviço, as plataformas descentralizadas pedem aos usuários que confiem em seu código, e essa é uma pergunta difícil para ambientes de programação de código aberto que lidam com bilhões de dólares em transações.

As plataformas CeFi também costumam fornecer rampas de entrada e saída em moedas fiduciárias, o que exige que a empresa armazene registros pessoais e informações KYC devido a requisitos de conformidade.

Informações confidenciais nas mãos de corporações descuidadas podem ser perigosas, mas geralmente é mais fácil confiar em uma marca de renome do que assumir as responsabilidades de autocuidado.

As exchanges centralizadas têm departamentos inteiros para garantir que seus dados sejam tratados corretamente, incluindo canais de suporte ao cliente e programas de envolvimento da comunidade.

Eles também oferecem serviços de cross-chain para moedas listadas em blockchains independentes como Bitcoin, Litecoin, XRP e muito mais, permitindo a negociação dessas moedas com facilidade.

Os sistemas DeFi são construídos principalmente na rede Ethereum e, embora os ‘wrapped tokens’ estejam trazendo mais ativos para o ecossistema, cross-chain não são viáveis ​​no momento.

Os serviços DeFi são suportados pela comunidade, para a comunidade. Eles não apenas permitem que qualquer pessoa acesse seus serviços sem fornecer nenhuma informação, mas também permitem que os usuários construam no topo da rede descentralizada e colaborem com a comunidade livremente.

Por esse motivo, os produtos DeFi são frequentemente chamados de “money legos,” projetados para se beneficiarem e se integrarem uns aos outros.

Além disso, embora seja impossível garantir que um serviço centralizado, seja confiável, o código auditado de uma fonte de renome é teoricamente muito mais seguro, o que torna os aplicativos DeFi uma opção melhor para usuários que desejam algo comprovadamente seguro.

O desenvolvimento no espaço DeFi é rápido e a indústria está construindo progressivamente sistemas mais capazes e experimentando ideias inovadoras.

Embora ainda haja um longo caminho a percorrer, o DeFi está lentamente produzindo alternativas para todo tipo de serviço centralizado disponível.

As plataformas DeFi também estão resolvendo lentamente alguns dos problemas menores com o espaço hoje, como fornecer acesso a ativos agrupados.

Os serviços centralizados estão no centro do movimento do blockchain contra a centralização e, embora possa parecer contra-intuitivo, eles são fundamentais para o crescimento contínuo do espaço.

Além de assumir a responsabilidade pela proteção de seus ativos, esses serviços também precisam manter níveis de desempenho, oferecendo o melhor serviço pelo menor custo para manter suas bases de usuários.

As plataformas DeFi são mais voltadas para a comunidade e muitas vezes são bifurcadas ou construídas por membros da plataforma.

Isso permite a criação de ainda mais redes DeFi para os usuários interagirem e facilita o crescimento para atender às reais necessidades do mercado.

Por exemplo, enquanto a Uniswap popularizou as AMMs, atraindo pessoas de todo o mundo para se tornarem fornecedores de liquidez (LPs), seu código foi bifurcado (forked) para criar o SushiSwap quase idêntico, que se diferenciava principalmente através de melhores incentivos para LPs, reunindo usuários e desviando a liquidez de sua plataforma-mãe.

O DeFi está ultrapassando os limites do que os blockchains são capazes, mas os serviços centralizados sempre permanecerão para aqueles que priorizam o desempenho e a confiabilidade.

Até que os sistemas descentralizados possam garantir o mesmo nível de segurança e conveniência para os ativos de seus usuários, a CeFi continuará a atrair o maior número de traders de criptomoedas.

# 2 Diferença Chave: Regulamentos e Tamanho do Mercado

A CeFi eclipsa completamente a DeFi, tanto em termos de base de usuários quanto de tamanho de mercado.

Em comparação com a DeFi, as plataformas centralizadas estão muito mais estabelecidas, tendo fortalecido suas marcas na década desde a criação do Bitcoin. A DeFi é ainda uma parte relativamente jovem de uma indústria que está apenas em sua infância.

Embora a regulamentação seja uma questão crescente no espaço da blockchain como um todo, os serviços centralizados têm muito mais sorte em conseguir a aprovação regulatória, já que há alguém para assumir a responsabilidade de fazê-la cumprir.

Contratos inteligentes podem fazer cumprir a regulamentação através de códigos, mas aplicações mal escritas podem levar a perdas financeiras substanciais para o mercado.

Além disso, como as criptomoedas ainda são um mercado muito entusiasta, as experiências dos usuários nas plataformas DeFi são relativamente pobres e a falta de suporte ao cliente em redes descentralizadas pode ser o que a retém a longo prazo.

Dito isto, as redes descentralizadas têm enfrentado obstáculos desde o lançamento da primeira criptomoeda, e como aplicações mais sofisticadas começam a atingir o mercado, esta questão deve encolher com o tempo.

Entretanto, outra preocupação crescente entre os membros da comunidade é como as exchanges centralizadas de criptomoedas adotaram operações similares como dos bancos tradicionais.

Isto alimenta em parte o aumento da popularidade das plataformas DeFi. Embora ambos os tipos de serviços sejam essenciais de maneiras diferentes, seu futuro dependerá de quão bem as plataformas DeFi podem imitar o desempenho de suas contrapartes centralizadas.

Os serviços CeFi entendem exatamente o que querem de seus clientes e tentam empurrar sua base de usuários nessa direção.

As plataformas DeFi, por outro lado, se definem pela forma como a comunidade as utiliza, e esta é uma distinção importante a ser feita.

Para novos investidores que estão apenas mergulhando seus dedos dos pés, as plataformas centralizadas são muito mais ágeis e fáceis de usar, enquanto suas alternativas descentralizadas são projetadas mais para usuários experientes.

A CeFi oferece estabilidade e desempenho, enquanto as redes DeFi promovem maior privacidade e controle sobre seus ativos.

Embora ambos os ecossistemas tenham um longo caminho a percorrer antes que as criptomoedas vejam uma adoção mais generalizada, eles certamente estão no caminho certo.

Com a adoção institucional em ascensão e os protocolos DeFi se tornando cada vez mais avançados, a DeFi poderia rapidamente se tornar o ambiente dominante para todos os serviços financeiros.

Rate this post

Posts Relacionados

error: