יחסי ציבור פונים להתנגד ללחץ הנדל"ן לרגל יום הנוער העולמי

יחסי ציבור פונים להתנגד ללחץ הנדל"ן לרגל יום הנוער העולמי

O Presidente da República alertou hoje o Governo e os autarcas de Lisboa e Loures que têm de resistir à “pressão imobiliária” sobre os espaços que vão acolher a Jornada Mundial da Juventude. Durante a manhã, Marcelo Rebelo de Sousa visitou as terras às margens do Tejo, entre Lisboa e Loures, onde se prevê a passagem de centenas de milhares de católicos pela Jornada Mundial da Juventude, de 1 a 6 de agosto de 2023. Acompanhado do Vice-Ministra e para os Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, pelos Presidentes da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, e de Loures, Ricardo Leão, e pelo Bispo Auxiliar de Lisboa, Américo Aguiar, o Chefe de Estado percorreu o terreno ainda acidentado e montanhoso . Após a Jornada Mundial da Juventude, o objetivo é deixar “um legado”, nas palavras de Américo Aguiar, para as gentes de Lisboa e Loures e transformar o espaço num grande parque. E olhando para os quilómetros de terreno, o Presidente da República dirigiu-se a Ricardo Leão com um aviso: “Não deixe aqui construir, ó presidente”. Dirigindo-se ao governador e presidente da Câmara de Lisboa, acrescentou: “Será uma pressão imobiliária… Isto é maravilhoso.” “Não vai acontecer”, respondeu Ana Catarina Mendes. O autarca de Loures adiantou que após a Jornada Mundial da Juventude este será um espaço de “divertimento da população” e contará também com “instalações desportivas”. “Aqui está tudo bem”, respondeu o Presidente da República. É a segunda vez que o chefe de Estado verifica o estado das obras nestas terras e prometeu devolver até ao final deste ano uma terceira “a controlar”. “É uma obra complexa”, admitiu aos jornalistas Marcelo Rebelo de Sousa, mas que incorpora uma ideia “para o futuro”. “A estrada não acaba, nem pode acabar, como um compromisso nacional nos dias de hoje, por mais importantes que sejam na vida de milhões de pessoas. Aqui está, pela primeira vez depois de uma Jornada Mundial da Juventude, um trabalho para a comunidade, para a de Loures, para a de Lisboa. A ponte pedonal, a passadeira pedonal, os parques, uma realidade que não existia. E é em termos de qualidade de vida para as gerações futuras”, acrescentou. A visita ainda estava na metade e o Presidente da República já tinha planos traçados. A primeira: acampar neste espaço na véspera do início da Jornada Mundial da Juventude, um convite feito ao bispo auxiliar de Lisboa e aos autarcas das duas cidades. A segunda: “Já estou pensando em dar um mergulho.”

הודעות קשורות

השאר תגובה

שְׁגִיאָה: