A mobilização de estudantes em apoio a Gaza afecta muitos países, principalmente na Europa e especialmente nos Estados Unidos. Policiais e manifestantes pró-palestinos entraram em confronto na quarta-feira no campus da Universidade de Amsterdã (UvA). A polícia disse no X, por volta da meia-noite, que prendeu 32 pessoas por “violência, destruição, agressão e incitamento” nas

A mobilização de estudantes em apoio a Gaza afecta muitos países, principalmente na Europa e especialmente nos Estados Unidos. Policiais e manifestantes pró-palestinos entraram em confronto na quarta-feira no campus da Universidade de Amsterdã (UvA).

A polícia disse no X, por volta da meia-noite, que prendeu 32 pessoas por “violência, destruição, agressão e incitamento” nas instalações da universidade e numa importante via no centro da capital holandesa. Os manifestantes bloquearam-no depois de terem sido evacuados à força da universidade. Os estudantes manifestam-se desde segunda-feira para que a instituição corte todos os laços com Israel devido à sua ofensiva militar em Gaza.

Bastão golpeia contra amônia

Imagens divulgadas pela mídia holandesa no final da tarde mostraram dezenas de policiais de choque usando cassetetes contra manifestantes que ocuparam um prédio universitário na noite de terça-feira. Os manifestantes então, segundo a polícia, bloquearam Rokin, uma importante artéria da capital, onde também eclodiu a violência. “Os manifestantes jogaram amônia na polícia de choque”, de acordo com as autoridades.

Durante o dia ocorreram conversações entre a liderança da UVA e os manifestantes, que foram claramente malsucedidas. Imagens transmitidas pelo canal local AT5 mostraram a polícia prendendo manifestantes nas instalações da universidade em Binnengasthuis no final da tarde e empurrando barricadas em um canal usando uma escavadeira.

Várias centenas de apoiantes observaram a cena, gritando “Que vergonha”, “Palestina Livre, Livre”, “Pare o genocídio”. Os manifestantes atiraram pedras e dispararam extintores de incêndio contra a polícia, disse ela. Alguns deles não eram estudantes, mas pessoas “não afiliadas à universidade” que “procuravam deliberadamente o conflito”. Um manifestante escapou da polícia pulando em um canal após pular em uma escavadeira.

Universidade de Utrecht também ocupada

Os manifestantes ocuparam outra parte do campus da UVA ao meio-dia de segunda-feira, de onde foram evacuados violentamente na madrugada de terça-feira. 169 pessoas foram presas. Imagens transmitidas pela emissora pública NOS também mostraram a polícia atacando os manifestantes com cassetetes e destruindo tendas depois que eles se recusaram a deixar o campus. Os manifestantes retornaram ao local da universidade na terça-feira.

Centenas de pessoas também se reuniram no campus da Universidade de Utrecht na quarta-feira e ocuparam um prédio, segundo a mídia local.

Fonte: Agências de Notícias

Atualizado em by Liz Ng
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Registro Rápido

Corretora regulamentada. Conta Demo com $10.000 em fundos virtuais Grátis!

92%
Pontuação de Confiança

Ganhe $10.000 Virtuais Ilimitados! Depósito Inicial Não é Necessário.

icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Pontuação de Confiança
A mobilização de estudantes em apoio a Gaza afecta muitos países, principalmente na Europa e especialmente nos Estados Unidos. Policiais e manifestantes pró-palestinos entraram em confronto na quarta-feira no campus da Universidade de Amsterdã (UvA). A polícia disse no X, por volta da meia-noite, que prendeu 32 pessoas por “violência, destruição, agressão e incitamento” nas
banner image